Andrew Bolton. That is a name to remember if your interested in the interesection of fashion and art - and in the Met's Costume Institute, of course. This is the man who is innovating when it comes to taking fashion off the runways and into a museum. Bolton has been at the institute for 14 years, but has recently become its chief curator and is about ready to present his "Manus x Machina: Fashion in an Age of Technology" to the world. 

As one could expect, the exhibition will feature an infinite amount of fashion. But this is certainly the first exhibition to draw on two very contemporary subjects: technology (and its impact on fashion) and handcraft, and how both define ready-to-wear and culture. Amidst the egotistical personalities of the fashion world (yes, they exist even in museums), Bolton's greatest interest is bringing awareness of artistic, economic, historic and even ideological influences onto garments. This is the same name behind of one the world's most visited exhibition: “Alexander McQueen: Savage Beauty.” It is said that it wasn't until this exhibit that the Costume Institute gained the reputation and credibility it has today within the Met. Of course, Bolton did it again with the following exhibition “China: Through the Looking Glass”, which somehow rounded up even more visitors - close to 1 million to be exact. His geniality is so that he is the subject of a new documentary The First Monday in May (such a great title!), by Andrew Rossi, which will be on view this Spring. 

This all goes to say that we can have high expectations for the upcoming exhibition.  “Manus x Machina" will be theatrical, technological and certainly minid-blowing. Are you ready?


Andrew Bolton. Esse é o nome a ser lembrado se você estiver interessado na interseção da moda e da arte — e no Costume Institute do Met, é claro. Este é o homem que tem inovado quando se trata de falar de moda for a das passarelas e dentro de um museu. Bolton está no instituto há 14 anos, mas tornou-se recentemente seu curador-chefe e está prestes a apresentar seu “Manus x Machina: Fashion in an Age of Technology” (Manus x Machina: A Moda na Era da Tecnologia) para o mundo.

Como era de se esperar, a exposição apresentará uma quantidade infinita de moda. Mas essa é certamente a primeira exposição a usar a contribuição de dois assuntos muito contemporâneos: tecnologia (e seu impacto na moda) e artesanato, e como ambos definem o pronto para vestir e a cultura. Em meio às personalidades egoístas do mundo da moda (sim, elas existem até mesmo em museus), o maior interesse de Bolton é levar a consciência artística, econômica, histórica e até mesmo influências ideológicas para as roupas. Este é o mesmo nome por trás de uma das exposições mais visitadas do mundo: “Alexander McQueen: Savage Beauty” (Alexander McQUeen: Beleza Selvagem). Fala-se que não foi até esta exibição que o Costume Institute ganhou a reputação e a credibilidade que tem hoje dentro do Met. É claro, Bolton fez de novo com a exposição seguinte “China: Through the Looking Glass” (China: Através do Espelho), que de alguma maneira conseguiu ainda mais visitantes — próximo de 1 milhão para ser exata. Sua genialidade é tanta que ele é o assunto de um novo documentário The First Monday in May (A Primeira Segunda-Feira de Maio — um título tão bom!), de Andrew Rossi, que estará em exibição nessa primavera.

Isso tudo para dizer que podemos ter expectativas altas para a exposição que está por vir. “Manus x Machina” será teatral, tecnológica e, certamente, surpreendente. Vocês estão prontos?


YOU MAY ALSO LIKE 

Comment